ページの先頭です。 メニューを飛ばして本文へ
Posição atual Home > 分類でさがす > くらし・手続き > がいこくじんのみなさんへ > Português > Português > História da cidade de Hiroshima

本文

ID de publicação:0000012386Data de atualização:2020年3月2日更新印刷ページ表示

História da cidade de Hiroshima

Períodos primitivo e arcaico

 A maior parte da jusante do rio Ota, onde atualmente fica a atual zona urbana da cidade, era coberta pelo mar. Na pequena colina do monte Hiji, que era uma ilha na Baía de Hiroshima, e nos distritos de Ushita, Yano e Itsukaichi ainda existem algumas ruínas dos períodos Jomon e Yayoi em diversos pontos da cidade, principalmente na colina, onde é possível avistar aluviões de pequenos rios.

 Na bacia do rio Ota, na primeira metade do Período Kofun, começaram as construções de grandes necrópoles como a de Nakaoda em Kuchida e nos morros de Unagi e Jingu em Midorii, e na segunda metade desse mesmo período, essas construções se deram em Kabe, Shiraki e em outras partes do interior de Hiroshima.
 A administração local, estava centralizada em Kokufu (sede do governo provincial) e governada por Kokushi sob um regime político Ritsuryou (administração baseada no Código de Lei e Ordenança).
 No reinado de Aki, a sede do governo provincial foi instalada em Saijo (cidade de Higashi Hiroshima) ou em Fuchu (Aki-gun, Fuchu-cho), e na metade do Período Heian, já estava instalada em Fuchu. Mitago e outros vilarejos de Shiraki tinham relação com o governo da sede.

 Quando o regime de Código de Lei e Ordenança começou a desmoronar, os nobres da família imperial, a aristocracia, os templos, santuários começaram a construir solares, sendo que no final do século VIII, além do solar de Ushita, que passou a ser propriedade de Saidaiji do reinado de Yamato, e foram construídos outros solares de Kabe (em Kabe), de Miiri (em Miiri) e de Tato (perto de Kuchita).

 Nessa época, na periferia de Yamamoto, bairro Gion, próximo à embocadura do rio Ota, havia armazéns para o transporte de materiais desde o solar do Santuário Itsukushima, que se localizava no interior do país.

Idade Média

 O clã Takeda, que ocupou a nova função de governador do reinado de Aki, após a Rebelião de Jokyu (ano 1221), estabeleceu a sua base no Castelo de Kanayama (no distrito de Asa-Minami), construído no morro de Takeda.   

 Ao redor do terreno do castelo, foi estabelecida uma feira que se tornou um lugar ativo e promoveu a transferência do centro político, que era em Fuchu. Ao entrar no período do império que estava dividida em sul e norte (Nambokucho), e o clã Takeda recebeu o convite do guerreiro Takauji Ashikaga para confrontar as forças opostas do shogunato em aliança com o clã Mori, Yoshikawa e Kumagai, entre outros usando como base o Castelo de Yano (distrito de Aki).
 Posteriormente, o clã Takeda foi destituído do cargo de governador militar, porém, no início do século XV foi reintegrado o cargo do governar militar para administrar a região da bacia do rio Ota.

 Nessa época, na atual zona urbana da cidade, devido à sedimentação da terra e areia transportadas pelo rio Ota, surgiram bancos de areia e diques naturais formando gradualmente um delta e possibilitando sobrevivência para pessoas que se dedicavam principalmente à pesca. No transcurso do tempo, essa região se transformou num importante centro político e econômico, envolvendo a disputa do chefe da baía de Hiroshima, entre os clãs Takeda e Ouchi do reino de Yamaguchi. Foi mencionada pela primeira vez num documento confeccionado em 1397, onde aparece o nome de Gokanoura, como sendo um terreno adjunto ao Solar Ama propriedade do Santuário de Itsukushima (na periferia de Yano).       

 O clã Takeda foi derrotado em 1541, e o clã Mouri aumentou gradualmente o seu poder expandindo rapidamente para a região de Chugoku, após derrotar o clã Sue na Batalha de Itsukushima, em 1555. O clã Mouri, no processo de unificação nacional do Hideyoshi Toyotomi, se aliou sob essa força e se converteu num senhor feudal de 1,12 milhões de Koku (corresponde a uns 150 kg de arroz colhido), abrangendo quase toda região de Chugoku.
 O centro administrativo deste vasto território era o Castelo de Koriyama de Yoshida (cidade de Akitakata), base do clã Mouri, porém, devido a várias perspectivas militares, políticas, econômicas, entre outros fatores, houve a necessidade de transferir essa base para um lugar estratégico relacionado com os transportes terrestre e marítimo.

Idade Moderna

 Em 1589, o Terumoto Mouri começou a construir um castelo sobre o delta do rio Ota, que na época era chamado de Goka (5 vilas), e dizem que essa região foi nomeada como Hiroshima.

 Posteriormente, ao concluir a construção do castelo após cerca de 2 anos de obra, e em 1591, passou a morar nele com seus vassalos. Logo, começou a construir cidade ao redor desse castelo, convidando os artesões e comerciantes espalhados dentro do seu território seguindo o estilo de Quioto e Osaka (em Osaka).      

 Após Hideyoshi Toyotomi falecer, Terumoto Mouri foi derrotado na Batalha de Sekigahara, e como resultado foi transferido para Suou e Nagato (atual província de Yamaguchi), e em seu lugar, Masanori Fukushima, natural de Owari Kiyosu (província de Aichi), se tornou Senhor Feudal de Geibi, com cerca de 498 mil Koku. O clã Fukushima ampliou e manteve as obras na área ao redor do castelo iniciadas por Mouri, e, juntamente, construiu a via Saikoku (rodovia de Sanyo) fazendo-a passar próximo ao castelo, além de estruturar a estrada de Unseki, que liga Izumo a Iwami. 

 Não obstante, o clã Fukushima, devido à violação da Lei do Shogunato ao reparar o castelo sem permissão, virou plebe. Em seu lugar, em 1619, Nagaakira Asano, da região de Kishu (província de Wakayama), foi nomeado senhor feudal para governar o reinado de Aki, além de 8 comarcas de Bingo, com 429 mil Koku.
 No período de Edo, as marismas (terrenos a beira mar) do sul ao lado do castelo de Hiroshima, foram sendo recuperadas com rapidez, e na década do ano de 1820, foram desenvolvidos 35 novos bairros e vilas.    

 Nesta altura, a população dos novos bairros e vilas era superior a 48 mil habitantes, e ao incluir as famílias dos samurais, dos templos e santuários, que era estimada em cerca de 20 mil pessoas, a população total em volta do castelo chegou atingir, aproximadamente, 70 mil habitantes, tornando-se uma grande cidade, depois de Edo, Osaka, Quioto, Nagoya e Kanazawa.

 Por outro lado, como Hiroshima era a maior cidade ao longo da rota de transporte do mar interior. Muitos navios de outras províncias navegavam ativamente pelos rios Hon e Motoyasu, e dentre todos o bairro de Nakashima, era o centro comercial onde estavam instaladas grandes lojas ao longo das ruas.

 Nas regiões costeiras das áreas vizinhas do castelo era produzido algodão; na bacia do rio Ota, cânhamo, papel, utensílios de bambu e verduras; e na baía de Hiroshima, produziam-se algas, ostras e outros produtos marítimos, cuja maioria era reunido na área do castelo para logo ser despachado para Quioto, Osaka e Edo.

Ilustração da área ao redor do castelo
Ilustração da área ao redor do castelo (entre 1778 e 1779).

Período Meiji, Taisho e Showa (antes da guerra)

 O sistema de domínios feudais (Han) em julho de 1871, no 4º período da era Meiji foi abolido e foi implementado pelo novo governo um sistema de províncias. No ano seguinte, em abril de 1872 (5º ano Meiji), a área próxima ao castelo foi denominada como o 1º Grande Distrito da Província de Hiroshima, e em novembro de 1878, com a promulgação da Lei de Organização de Distritos e Vilas, passou a ser chamada como Distrito de Hiroshima.    

 Posteriormente, em abril de 1888 foi promulgado o Sistema de Cidades e Vilas, e logo no ano seguinte, em 1º de abril de 1889, foi designada como uma das primeiras cidades do Japão a ser implementado o sistema autônomo de cidade. A superfície total era cerca de 27 km2, com 23.824 unidades de casas, e uma população de 83.387 habitantes.

 Em setembro de 1884, graças ao esforço do governador Sadaaki Senda, foi iniciada a obra de construção do Porto de Ujina, sendo concluída em novembro de 1889, após 5 anos. Como resultado, o mar raso da parte sul do novo assentamento (área desenvolvida) de Minami e a ilha de Ujina transformaram-se num vasto terreno. E, em junho de 1894, a linha férrea de Sanyo foi estendida até Hiroshima.
 Após a eclosão da Guerra Sino-Japonês, em agosto do mesmo ano, foi utilizada como ferroviária militar, ligando Hiroshima e Ujina, tendo uma obra de urgência concluída em pouco mais de 2 semanas. Do Porto de Ujina, foram enviados para o campo de batalha muitos soldados e materiais. Em setembro, o Quartel General Imperial foi transferido para o castelo de Hiroshima, e em outubro foi realizado o congresso extraordinário imperial. 

 Posteriormente, nos anos de 1904 e 1905, devido à Guerra Russo-Japonesa e outras guerras, a cidade começa a se consolidar como “Capital Militar”, estabelecendo várias instalações uma atrás da outra. Em 1902, iniciada pela fundação da Escola Normal Superior de Hiroshima, foram fundadas a Escola Superior Politécnica, a Escola de Ensino Superior, a Escola Feminina de Especialização e a Universidade de Artes e Ciências. Dessa forma, Hiroshima foi se transformando em um centro político, econômico, educacional e de transporte de toda a região de Chugoku.
 Devido às construções das instalações militares, as obras de canalização de água potável e esgoto avançaram, e junto foi melhorando a infra-estrutura urbana. Dentre outras obras, a instalação de trilhos de bonde numa parte do fosso do castelo aterramento, mudou excepcionalmente o panorama da cidade.
 A empresa de bondes de Hiroshima, em novembro de 1912, inaugurou 3 linhas: Estação de Hiroshima, Kamiya-cho e Ponte Aoi, substituindo as carruagens convencionais e virando o principal meio de transporte da cidade.
 A linha entre Miyukibashi e Ujina começou a operar em abril de 1915, e em novembro de 1917, a linha entre Sakan-cho e Yokogawa ofereceu uma maior comodidade no transporte dentro da cidade, sendo que as zonas de Hacchobori e Kamiya-cho chegaram a se equiparar com a de Nakashima-Honmachi e de Sakai-machi, centro econômico desde o período dos samurais. 

 Em 1921, foi fundado o novo mundo e um novo centro comercial foi construído, movimentando e reunindo diversos tipos de lojas ao redor do prédio de cinema, e em 1929 foi inaugurada em Hacchobori a primeira loja de departamentos Fukuya. E assim, as principais zonas comerciais da cidade foram se mudando para a periferia de Hacchobori. A avenida que liga Nakashima ao novo mundo cresceu gradualmente e se transformou num centro comercial.    

 Já em 1904, as vilas Nihojima e Aza Ujinajima foram incorporadas à área da cidade (nova denominação do bairro: Motoujina-machi). E após a aplicação da Lei de Planificação Urbana, aprovada em 1919 no Período Showa, a fusão das vilas da periferia foi promovida e essas foram incluídas no plano de urbanização, juntamente com a cidade de Hiroshima. Em abril de 1929, 7 regiões foram incorporadas, entre bairros e vilas, (Niho, Yaga, Ushita, Misasa-machi, Koi-machi, vila Furuta e Kusatsu-cho). Em decorrência, tornou-se a 7ª cidade mais populosa do país, com mais de 270 mil habitantes.

 Como conseqüência de novos desenvolvimentos em direção à desembocadura realizada desde a Idade Moderna, a cidade veio sofrendo problemas de inundações e maré alta durante vários anos. A obra de reparação do rio Ota começa no ano de 1932, e o nome do Porto de Ujina é mudado para Porto de Hiroshima, e, no ano seguinte, em 1933, começa a obra de reparação. Em 1940 começa o projeto de construção do porto industrial, transformando o aterramento em zona industrial à beira-mar.

仮議事堂

Prédio do parlamento provisório do Parlamento Imperial Extraordinário organizado no ano de 1894, em Hiroshima.

現原爆ドーム

Ponte Aoi e Prédio de Promoção Industrial de Hiroshima (atual cúpula da bomba atômica).  Imagem anterior ao bombardeio.

Período Showa (pós Guerra) e Período Heisei

 No dia 6 de Agosto de 1945, pela primeira vez na história da humanidade, foi lançada uma bomba atômica sobre uma área populosa. Essa bomba foi detonada no ar de Hiroshima a 600 metros do chão. Em segundos a cidade se transformou num vasto campo queimado e milhares de pessoas perderam suas preciosas vidas, sendo que outras tantas sofreram danos irreparáveis. Até o final desse ano, é estimado que o número de mortes tenha chegado cerca de 140 mil pessoas (margem de erro de 10 mil para mais ou para menos), e os sobreviventes sofrem diferentes tipos de seqüelas, que ainda hoje persistem. 

 A reconstrução da cidade ora destruída e devastada em segundos começou pela reativação dos trens, bondes, outros meios de transporte, os meios de comunicação, o fornecimento de energia elétrica e outros serviços públicos. Os cidadãos, apesar do sofrimento pela falta de alimentos e materiais, começam a reconstruir suas vidas. A cidade estabeleceu em outono de 1946 um Plano de Reconstrução Urbana, porém, infelizmente, devido à falta de recursos financeiros, teve dificuldades em levá-lo adiante.          

 Essa situação foi superada devido à promulgação da “Lei de Construção da Cidade e do Memorial da Paz de Hiroshima” em 6 de agosto de 1949. Isso possibilitou levar adiante a toda escala de construções de rodovias, pontes, moradias e outros, colocando a cidade num período de expansão com elevado crescimento econômico.   

 Passados 2 anos do lançamento da bomba atômica, em 6 de agosto de 1947, foi realizado o Festival da Paz. O 4º Festival de 1950, devido a eclosão da Guerra da Coréia, foi suspenso por motivos de segurança faltando poucos dias para a realização. No entanto, desde 1951 esse festival é sucedido até hoje, como “Cerimônia de Homenagem às Vítimas da Bomba Atômica e Cerimônia de Oração para a Paz.”   

 Em 1955, no Parque Memorial da Paz, foi inaugurado o Museu Memorial da Paz de Hiroshima, contando com a organização da “Conferência Mundial Contra Bombas Atômicas e de Hidrogênio”, fato marcante para começarmos a dar firmes passos como cidade referência da paz. 

 No período pós-guerra veio discutindo se demolir ou conservar a Cúpula da Bomba Atômica, recordação da catástrofe do bombardeio. Porém, graças ao movimento de conservação organizado pelos cidadãos em 1960, foi decidido a conservação do prédio.    

 No pós-guerra, com o aumento dos serviços administrativos de cada jurisdição, houve a necessidade de racionalizá-los regionalmente a fim de processá-los de forma eficaz. Com as promulgações da Lei de Promoção de Fusões Regionais, em 1953, e da Lei de Promoção de Construção de Novas Cidades, em 1956, o ímpeto de fusões foi intensificado nacionalmente. Hiroshima, em abril de 1955, realizou a fusão entre Aki-gun e a vila Hesakayama, e em abril de 1956, entre Aki-gun e a vila Nakayama. Em novembro do mesmo ano, foi a vez de Saeki-gun e da vila Inokuchie, em 1957. No ano seguinte, a sua população era superior a 400 mil habitantes. Nessas circunstâncias, Hiroshima publicou em 1958 o projeto da “Grande Hiroshima”, e formulou uma série de planos para a construção de uma ampla zona de urbanização concentrada na cidade de Hiroshima.      

 A reconstrução do centro da cidade, destruído pela Guerra, teve necessidade de um reajuste de terrenos em grande escala devido ao projeto da construção de um novo parque com espaços verdes às margens do rio e a ampliação da Avenida da Paz. As obras terminaram em 1972, levando cerca de 30 anos. Durante esse período, devido ao aumento do fluxo de entrada de pessoas na cidade de Hiroshima, influenciado pelo Projeto de Reajuste de Terrenos, a margem do rio ficou ocupada por construções de barracos ilegais, principalmente na zona de Motomachi, onde surgiu um grande grupo de construções ilegais, que ficou conhecido como a “Favela da Bomba Atômica”. 

 Após remover esses barracos no ano de 1978, foi concluído o projeto de reurbanização da zona de Motomachi, agora com parques e arranha-céus para moradias, dando assim uma pausa às reconstruções dos edifícios danificados pela guerra. Por um lado, na zona de Danbara, onde o impacto da bomba atômica foi menor, as ruas ainda estreitas continuaram a ser um grande problema. Somente 43 anos, no ano de 2014, o projeto de reurbanização foi concluído.       

 A obra de reparação do rio Ota, que ficou suspensa temporariamente durante a guerra, foi reiniciada em 1951, e em 1965, foi concluída a drenagem do novo canal. Como resultado, os danos causados por inundações na bacia do rio Ota foram sanados, após décadas de transtornos.

 Em 1961, ao entrar no período de alto crescimento, formou-se uma área metropolitana em Hiroshima, onde foi inaugurado o Aeroporto de Hiroshima (atual heliport). Em 1964, surge a linha Sanyo-Honsen, e em 1965, é concluída a Estação Popular de Hiroshima. No ano seguinte, a cidade passa a contar com um novo desvio na estrada nacional no 2. Dessa forma, a infra-estrutura para os meios de transportes melhorou e ajudou na expansão da cidade.

 Como resultado, a divulgação do conceito da “Grande Hiroshima” aumentou ainda mais o ímpeto em solucionar de forma integrada os diversos problemas do cotidiano, que transcendiam o âmbito da cidade. Em janeiro de 1968, foi instalado um painel de discussões de assuntos administrativos que contava com um total de 19 bairros e vilas, e em março de 1970, isso contribuiu para o processo imediato de fusão de regiões da periferia através do estabelecimento do Plano Diretor da Cidade de Hiroshima, que declara a construção de uma ampla vida cotidiana atrativa.  

 A partir de abril de 1971, a cidade de Hiroshima celebrou a fusão com 13 bairros e vilas iniciada por Asa-gun, Numata-cho. Em maio do mesmo ano, foi a vez de Asa-gun, Asa-cho, e em abril de 1972, Asa-gun, Kabe-machi. Em agosto do mesmo ano, Asa-gun, Gion-cho, e em março de 1973, Asa-gun, Yasufuruich-cho, Sato-cho, Koyo-cho, e Aki-gun, Senogawa-cho. Já em outubro do mesmo ano, Takada-gun, Shiraki-cho, e em novembro de 1974, Aki-gun, Kumano Ato e Aki-machi, finalmente em março de 1975, Aki-gun, Yano-cho e Funakoshi-cho.

 No dia 1o de abril de 1980, Hiroshima se tornou a 10ª cidade designada por governo. Sendo assim, os trabalhos administrativos e a autoridade foram transferidos à cidade, fato esse que facilitou as operações administrativas. Mediante obtenção de novos recursos financeiros, houve uma melhora nos serviços para os cidadãos, promovendo a manutenção das respectivas instalações municipais e fortalecendo a relação entre a comunidade e o Governo, através da implementação do sistema de administração distrital.       

 Em março de 1985, a fusão com Saeki-gun, Itsukaichi-cho, fez sua população superar o número de um milhão de habitantes. E, em abril de 2005, a fusão com Saeki-gun, Yuki-cho, a tornou atualmente numa metrópole cuja população cerca de 1.190.000 habitantes.

 Após a transferência designada pelo governo, cada distrito recebeu gradualmente centros esportivos, bibliotecas, centros culturais para os residentes em amplas áreas regionais. Ademais, houve melhorias em uma grande variedade de instalações culturais, esportivas, museus locais, museu de arte contemporânea, Aster Plaza, estádio de atletismo (estádio do Grande Arco) e Centro Internacional de Convenções das principais cidades numa ampla zona chamada de Chugoku e Shikoku.    

 Um desses amplos parques com instalações esportivas, aptos a receber jogos internacionais, serviu como sede regional em 1994, pela primeira vez, dos Jogos Asiáticos.

 Em abril do mesmo ano, no morro em frente, foi inaugurada a Universidade Municipal de Hiroshima, obra que acelerou a urbanização das regiões periféricas.

 Em 1982, iniciaram-se as obras de preparação simultânea dos terrenos para a construção da zona de atacadistas e de moradias de grande escala do projeto de urbanização da zona oeste. Depois da celebração dos Jogos Asiáticos, foi levado a cabo o desenvolvimento de Seifu Shinto, e em 2001, foi inaugurado em Kamiya-cho, o centro comercial subterrâneo “Shareo”, o que promoveu outros novos projetos de urbanização. 

 Em 1975, foram inauguradas todas as linhas de Sanyo do trem bala, e em 1979, o Aeroporto de Hiroshima (atual heliporto de Hiroshima) passou a receber aviões a jato, fato que contribuiu para a consolidação de recursos sociais e para o crescimento favorável da economia de Hiroshima. 

 Em 1994, para solucionar o congestionamento causado pelo trânsito crônico da região norte, foi inaugurado o Gion Shindo, junto com o novo sistema de transporte (linha Astram), e em 2015, no ponto de cruzamento com a Sanyo Honsen da JR foi inaugurada uma nova estação, Shin Hakujima, obtendo assim um maior fortalecimento na rede de transporte público. Já em 2001, foi inaugurada a nova rodovia expressa nº 4 e, posteriormente, as rodovias nº 1, 2 e 3, entrando na verdadeira era de rodovias expressas metropolitanas.    

 Mesmo passando por um período de crescimento econômico, na zona ao redor da estação de Hiroshima existiam casas envelhecidas que foram construídas depois da guerra, e para adequar a aparência do acesso à cidade, foi confeccionado um projeto de reurbanização de 1ª categoria do bloco A da saída sul da estação, concluído em 1999.

 A reorganização da periferia em torno da estação foi acelerada de uma vez na ocasião da conclusão do Estádio Municipal de Beisebol (Estádio Mazda), em março de 2009, e a reurbanização dos blocos vizinhos, B e C, foi dada em 2017, renovando o ambiente. Sobre a zona Futaba no Sato, no lado norte da estação, está sendo construído um novo bairro através da reurbanização.

 A reurbanização da cidade vai substituindo as construções da época da guerra, exceto pela Cúpula da Bomba Atômica, que foi conservada como testemunho do bombardeio atômico e registrada como Patrimônio da Humanidade, em 1996. Em 2002, foi instalado o Salão Nacional Comemorativo da Paz de Hiroshima para as Vítimas da Bomba Atômica, que juntamente com o Museu Comemorativo da Paz, mostram aos visitantes, através de relatos reais narrados por Hibakushas, a tragédia causada pelo bombardeio e a importância de se cultivar a paz.   

 A cidade de Hiroshima segue implorando ao mundo a abolição de armas nucleares. A paz mundial é de interesse de todos. Hiroshima é visitada por autoridades do mundo inteiro. Recentemente, foi celebrada em Hiroshima, a Reunião dos Ministros de Relações Exteriores, os G7, em abril de 2016, e, em maio, Barack Obama, então Presidente dos Estados Unidos, visitou a cidade, chamando a atenção do mundo inteiro. A visita do Presidente Obama a Hiroshima foi a primeira de um presidente dos Estados Unidos a cidade, e isso resultou num passo histórico para a atividade de abolição de armas nucleares.

 

平和記念資料館

 Museu Memorial da Paz de Hiroshima, durante sua construção (ano de 1954).

 

アジア競技大会開会式

Cerimônia de Abertura dos Jogos Asiáticos (ano de 1994).

Conclusão do novo estádio de beisebol
Conclusão do novo estádio municipal de beisebol (ano de 2009).

オバマ米国大統領

Visita do Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a Hiroshima (ano de 2016).

Fonte: arquivos públicos

Local de informação sobre esta página

Seção de Análises Estatísticos, Departamento de Planificação de Política, Divisão de Coordenação de Projetos, Secretaria de Planificação e Assuntos Gerais
Tel:082-504-2012/Fax:082-504-2029
E-mail:seisakukikaku@city.hiroshima.lg.jp


コロナ情報

コロナやさしい日本語

Note Regarding Links

Please note some links on this page may navigate to our Japanese website.

外国人市民のための生活ガイドブック

ポルトガル語のバナーの画像<外部リンク>

ひろたびの画像<外部リンク>

  • Hiroshima Peaceのバナー画像<外部リンク>
  • 広島市へ寄付